Denuncia das Provocações em Violação da Trégua

Apresentador: António Muchanga

Função: Porta-voz do Partido 

Data:  13  de  Janeiro    de 2017

Para dissipar equívocos, melhor seria que o governo criasse uma comissão de inquérito. 

Nas províncias de Sofala, Manica e Tete acções que ameaçam a tranquilidade das populações pondo em causa as tréguas declaradas pelos presidentes Afonso Dhlakama da Renamo e Filipe Jacinto Nyusse da Frelimo e da República de Moçambique continuam em marcha.

No dia 10 de Janeiro por exemplo 4 elementos das FDS saíram da escola de Tazaronda foram a casa do Senhor Tomás, um popular que tem uma banca de venda de produtos alimentares e bebidas alcoólicas acusaram-no de possuir armas de fogo e exigiram que os entregasse ao tentar responder foi agredido ele e a esposa para a seguir arrombarem a sua banca onde retiraram 9.000,00MT em dinheiro e vários produtos alimentares.

Em Manica, distrito de Mossurize no dia 12 de Janeiro um grupo das FDS saiu da sua posição em Macuo localidade de Chitete no posto administrativo de Chiraurau e foram a uma zona próxima duma posição da Renamo invadiram as casas do senhor Mavoto e Djairoce onde se apoderaram de treze cabeças de gado bovino e levaram  3 senhoras.

Em Tete mais de 18 mastros de bandeiras da Renamo foram vandalizadas sobretudo no distrito de Angonia, vila Municipal de Ulóngue, nos postos administrativos de Domuê,  nas zonas de Calomué, Chipanga, Biriwita, Chikudo, Buni, Cabango, Chabwalo, Mulenguene esses actos são protagonizados por pessoas bem identificadas constituídos por militantes da Frelimo que até usam viaturas do Estado afectos aquele distrito, esses actos tiveram seu cúmulo no dia 11 de Janeiro, quando cerca das 16 horas o 1ºsecretário da Frelimo Cláudio Hoda fazendo-se transportar de uma viatura com a matricula AEG 412 AP, na companhia de Amós Calembene- Chefe da Localidade de Mpandula e Manuel Bizilamu -1º secretário da Frelimo na zona de Nkutu se deslocaram ao local onde a Renamo tem içado a sua bandeira naquela zona de Nkutu, localidade de Mpandula posto administrativo de Dômue para retirar a mesma no local e porque não encontraram a bandeira no mastro, dirigiram-se a residência do delegado da Renamo naquele povoado de nome Deniasse Chiboa e obrigaram-lhe a entregar a bandeira do partido a eles porque caso contrário seria morto. Esta campanha tem lugar a partir do dia 8 de Janeiro e até ontem dia 12, 18 bandeiras foram levadas e os respectivos mastros vandalizados. 

E porque ao denunciarmos estes actos que achamos que devem ser corrigidos por quem é de direito, com a colaboração de todos, a percebemo-nos de que algumas correntes  tentam menosprezar até tentam desmentir como foi o caso do Porta-voz do Comando Geral da Policia ao longo da semana, desafiamos o governo a criar uma comissão de inquérito, que deve incluir membros do governo, sociedade civil, partidos políticos e outras entidades interessadas na paz  para se deslocarem  ao terreno de forma a ferir a realidade. 

Só assim é que poderemos demonstrar o nosso cometimento com a Paz que muitos de nós ansiamos. As simples deslocações dos governadores de Sofala para Vanduzi e de Manica para outras zonas com os mesmos problemas não vão trazer o sossego das populações enquanto não se cementar o verdadeiro sentido de respeito ao compromisso dos dois altos dirigentes que declararam as tréguas militares, no País.